Suposto nazista morre antes do julgamento na Alemanha

Samuel Kunz, 89 anos, era acusado de ter participação na morte de 430 mil judeus entre janeiro de 1942 e julho de 1943

iG São Paulo |

Um tribunal de Bonn, na Alemanha, informou nesta segunda-feira que Samuel Kunz, suposto nazista acusado de ter participação na morte de 430 mil judeus, morreu na última quinta-feira aos 89 anos. O julgamento de Bonn começaria em janeiro ou fevereiro de 2011.

Kunz era o terceiro nome na lista dos supostos criminosos nazistas mais procurados pelo Centro Simon Wiesenthal. A causa de sua morte não foi divulgada.

Em julho, ele tinha sido indiciado pela participação no assassinato de judeus presos no campo de concentração de Belzec, na Polônia, no qual admitiu ter trabalhado como guarda entre janeiro de 1942 e julho de 1943. Kunz era acusado de empurrar judeus para câmaras de gás e jogar seus corpos em valas comuns. Além disso, teria matado pelo menos dez pessoas a tiros.

O caso de Kunz veio à tona durante investigações a respeito de John Demjanjuk, julgado no ano passado em Munique por ter colaborado com a morte de 27,9 mil judeus durante o Holocausto.

Como Demjanjuk, que é de origem ucraniana, Kunz nasceu no que viria se tornar a União Soviética e serviu no Exército Vermelho. De acordo com promotores, tornou-se guarda do campo de extermínio depois de ser capturado pelos alemães. Após a guerra, trabalhou como servidor público e conseguiu permanecer incógnito durante anos por não ser militar, foco da maior parte das investigações feitas na Alemanha.

Com AP e BBC

    Leia tudo sobre: nazismoalemanhaSamuel Kunz

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG