Suposto mentor do 11 de Setembro será julgado em Guantánamo

Plano inicial do governo Obama era julgar Khalid Sheik Mohammed, preso na base naval desde 2006, em tribunal civil

iG São Paulo |

O secretário de Justiça dos EUA, Eric Holder, anunciou nesta segunda-feira que será na base naval de Guantánamo, em Cuba, o julgamento de Khalid Sheik Mohammed, o homem considerado mentor dos ataques terroristas de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos.

O plano inicial do governo de Barack Obama era que Mohammed e quatro outros réus fossem julgados em um tribunal federal de Nova York, mas no fim do ano passado a decisão foi contestada por autoridades locais e parlamentares, que preferem vê-los submetidos a um tribunal militar por questões de segurança. Além disso, os tribunais militares limitam parte do direito de defesa dos reús.

Em dezembro, o Congresso impôs restrições à possibilidade de julgar presos de Guantánamo em tribunais civis americanos - uma proposta defendida por Obama. Por causa disso, o líder decretou o restabelecimento das comissões militares, suspensas no começo de seu mandato, para julgar alguns dos presos.

O Congresso dos EUA também limitou rigidamente a transferência de presos como Mohammed a partir de Guantánamo, exigindo uma notificação prévia e relatórios sobre os possíveis riscos da operação.

Mohammed, um líder da Al-Qaeda capturado em 2003 no Paquistão, está preso desde 2006 na base naval de Guantánamo.

Prisão

Um dos planos da Justiça americana, segundo Holder, é fechar a prisão militar na Baía de Guantánamo, apesar da decisão desta segunda-feira. Holder também afirmou que a pena de morte pode ser aplicada a Mohammed e os quatro outros acusados de participação nos ataques de 2001.

Com AP, BBC e Reuters

    Leia tudo sobre: terrorismoguantánamo11 de setembroobamaeua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG