Suposto membro das Farc recebe acusações por seqüestro de 3 americanos

Washington, 4 ago (EFE).- Um júri federal de investigação apresentou acusações contra um suposto membro das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) pelo caso dos três americanos recentemente resgatados das mãos do grupo, disse hoje o Departamento de Justiça dos Estados Unidos.

EFE |

Hely Mejía Mendoza, conhecido como "Martín Sombra", foi indiciado formalmente na última sexta com sete acusações de terrorismo, além de posse e uso de armas, por sua participação no seqüestro de Marc Gonsalves, Keith Stansell e Thomas Howes.

Os três funcionários americanos, em poder das Farc desde fevereiro de 2003, foram libertados com outras 12 pessoas, entre elas a ex-candidata presidencial colombiana Ingrid Betancourt, durante uma missão de resgate realizada pelos militares colombianos em 2 de julho.

"Sombra", de 55 anos, enfrenta uma acusação de conspiração para a realização do seqüestro, três pelo ato em si, uma pela posse e uso de armas de fogo para a ação de um crime violento e duas por dar apoio material a uma organização terrorista.

Caso seja declarado culpado de todas as acusações, "Sombra" poderia receber uma sentença de até 60 anos de prisão, o máximo que permite a lei colombiana para seus cidadãos extraditados aos Estados Unidos.

Segundo o Departamento de Justiça, "Martín Sombra" serviu como o "carcereiro" dos três reféns durante a maior parte do cativeiro destes, e foi acusado pelo projeto e pela construção de "um amplo campo de concentração, com arames farpados, onde mantinha os americanos e outras dezenas de reféns na floresta". EFE mp/bm/dp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG