Suposto líder da Al Qaeda morre em ataque com mísseis dos EUA no Paquistão

Nova Délhi, 25 fev (EFE).- Um dirigente da Al Qaeda supostamente responsável por um atentado contra interesses dos Estados Unidos morreu num ataque com mísseis quarta-feira no noroeste do Paquistão, informaram hoje fontes oficiais.

EFE |

O ataque foi de autoria de um avião americano não-tripulado no povoado de Dandi Darpakhel, situado na demarcação tribal do Waziristão do Norte. O canal de televisão paquistanês "Dawn" disse que 13 pessoas morreram na ação.

Segundo a fonte, entre os mortos está o dirigente da Al Qaeda Qazi Zafar e os líderes talibãs Bahdar Mansur e Rana Afzal - também conhecido como "Noor Khan".

Os EUA ofereciam uma recompensa de US$ 5 milhões pela captura de Qari Zafar, considerado envolvido no atentado ao consulado americano em Karachi, sul do Paquistão, em março de 2002.

Três cidadãos paquistaneses e o diplomata americano David Foy perderam a vida naquele ataque.

Já Rana Afzal era o mentor do ataque à Agência Federal de Investigação do Paquistão (FIA, em inglês) de Lahore em março de 2008, assim como um ataque contra o Tribunal Superior da cidade, no leste da nação.

Mansur era o fundador do grupo Talibãs de Punjab (a região mais importante do país, no leste) e membro da organização ilegal Sipah Sahaba Pakistan.

Os mísseis caíram numa casa e num veículo de Dandi Darpakhel, local que já tinha sido alvo de ataques anteriormente, e quatro das 13 vítimas seriam estrangeiros.

Outros quatro corpos ainda não foram identificados por enquanto.

O Waziristão do Norte, que faz fronteira com o Afeganistão, é alvo constante de aviões dos EUA por ser um refúgio para facções talibãs paquistanesas e afegãs, além de membros da rede terrorista Al Qaeda.

Nos últimos meses os ataques americanos aumentaram de frequência, o que acabou com a vida de alguns representantes importantes da resistência.

Na semana passada, um ataque acabou com a vida de Mohammed Haqqani, filho de Jalaluddin, líder histórico da rede insurgente Haqqani, uma das organizações mais ativas na luta contra as tropas internacionais no Afeganistão.

E anteriormente, ataques acabaram com as vidas dos dois últimos líderes do movimento talibã paquistanês, Baitullah e Hakimullah Mehsud.

Fontes apontam que Paquistão e EUA têm uma cooperação tácita de informação de inteligência para realizar estas ações, mas os Governos dos dois países se negam a falar disso em público. EFE.

daa/dp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG