Suposto ex-nazista é acusado de matar 58 judeus na 2ª Guerra

Promotores em um tribunal na Alemanha acusaram nesta terça-feira um aposentado de 90 anos de matar 58 judeus no final da Segunda Guerra mundial.

BBC Brasil |

Segundo a promotoria, o réu foi membro da SS (a tropa de elite nazista) e realizou os assassinatos juntamente com cúmplices em um vilarejo da Áustria, Deutsch Schuetzen, em 29 de março de 1945.

Os restos das vítimas, que eram prisioneiros e faziam trabalhos forçados, foram encontrados em uma vala comum em 1995 pela Associação Judaico-Austríaca.

O réu foi identificado no tribunal na cidade alemã de Duisburg (oeste do país) apenas como um aposentado, morador da localidade.

Bosque

De acordo com o correspondente da BBC em Berlim Steve Rosenberg, ele não foi encontrado pela polícia ou por caçadores de nazistas, mas sim por um estudante universitário austríaco, que alertou as autoridades.

O estudante pesquisava sobre um massacre ocorrido durante a Segunda Guerra Mundial perto da fronteira austro-húngara.

Os promotores disseram que o acusado e seus cúmplices levaram pelo menos 57 judeus para um bosque "onde eles tiveram que entregar seus objetos de valor e se ajoelhar próximos a uma vala".

"O acusado e outros integrantes da SS então atiraram de forma cruel contra os trabalhadores forçados judeus, pelas costas", de acordo com a declaração de um porta-voz da promotoria.

O aposentado de 90 anos também é acusado de matar a tiros outro judeu que não conseguia mais andar durante uma marcha forçada, no mesmo dia ou um dia depois.

A vala comum onde foram encontradas as vítimas agora está assinalada com uma placa.

Segundo Steve Rosenberg, o aposentado tem duas semanas para responder às acusações, e o tribunal em Duisburg deverá decidir se ele tem condições de saúde para enfrentar o julgamento.

Leia mais sobre nazismo

    Leia tudo sobre: nazismo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG