Suposto chefe militar do ETA é preso na França

Um homem descrito como o líder militar do grupo separatista basco ETA foi preso no sudoeste da França, informaram fontes do governo espanhol. Jurdan Martitegi foi detido junto a dois outros suspeitos de pertencer ao ETA perto de Perpingnan, em uma operação conjunta entre as forças de segurança da França e da Espanha.

BBC Brasil |

Outros seis suspeitos de pertencer ao grupo foram presos em Bilbao e outras cidades nos últimos dias.

Martitegi foi detido apenas uma semana depois da prisão, em Paris, de outro importante suspeito de pertencer ao ETA, Ekaitz Sirvent Auzmendi.

Martitegi é o terceiro suspeito de ser chefe militar do ETA a ser preso pelas forças de segurança francesas nos últimos cinco meses.

O grupo separatista é responsabilizado pela morte de mais de 820 pessoas durante os 40 anos de campanha pela independência da região basca.

Prisão depois de prisão
Os três homens detidos no sábado estavam armados com três pistolas e tinham um carro com placa falsa, segundo informações da mídia espanhola.

A polícia francesa afirma que eles foram capturados em Montauriol, na região dos Pireneus, na fronteira com a Espanha.

Um dos outros detidos é Alexander Uriarte Cuadrado, segundo o Ministério do Interior Espanhol. O terceiro suspeito ainda não foi identificado.

Martitegi é suspeito de ter assumido o comando militar da organização em dezembro passado, depois da prisão de Aitzol Irionda, também no sudoeste da França.

Irionda, por sua vez, tinha acabado de assumir o comando militar depois da prisão de Mikel Garikoitz Aspiazu Rubina - também conhecido como Txeroki - na França, em outubro.

A França - que já foi vista como um refúgio para militantes bascos - começou a prender suspeitos de pertencer ao ETA depois que o grupo suspendeu um cessar-fogo de 15 meses, em junho de 2007.

Uma mulher suspeita de pertencer ao grupo, Itxaso Legorburu Madinabeitia, foi presa na cidade francesa de Mezieres-em-Brenne na quinta-feira.

Outro suspeito que estava com ela conseguiu escapar. As informações são de que os dois estavam em uma loja de armas quando levantaram suspeitas e a polícia foi chamada.

    Leia tudo sobre: eta

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG