Suposto chefe do grupo mafioso Ndrangheta é detido na Itália

Roma, 18 set (EFE).- A Polícia da Itália prendeu hoje Francesco Pelle, um dos supostos chefes da Ndrangheta (grupo mafioso da região da Calábria), que há anos está envolvido em um conflito com rivais que já causou várias mortes, como o assassinato de seis pessoas em Duisburg (Alemanha) em 2007.

EFE |

Pelle, de 32 anos, foi detido em uma clínica - na qual entrara sob nome falso - graças a uma operação coordenada pela Polícia, que se infiltrou no hospital com agentes vestidos de médicos para evitar possíveis fugas.

Sobre o detido, considerado um dos últimos chefes da família mafiosa, existia uma ordem de busca e captura desde o último dia 30 sob acusação de organizar o atentado de 25 de dezembro de 2006 no qual morreu Maria Strangio, mulher de Giovanni Luca Nirta, o líder do clã rival.

Pelle, conhecido como "Ciccio Pakistan", organizou o atentado como vingança após ficar paraplégico durante a tentativa de assassinato que sofreu em 31 de julho de 2006.

O assassinato de Maria Strangio foi, segundo os investigadores, o que causou a vingança de 15 de agosto de 2007 em Duisburg, quando seis italianos ligados à família Pelle-Vottari foram assassinados diante de uma pizzaria.

Estes crimes fazem parte de uma série de assassinatos e vinganças que correspondem a uma das mais longas e sanguinárias guerras mafiosas, iniciadas pelas famílias de San Luca em 1991 após uma briga que terminou com duas mortes.

A vingança de Duisburg, a primeira fora da Itália, desencadeou várias operações policiais nos últimos meses, que resultaram em dezenas de prisões e dizimaram os dois clãs de San Luca. EFE ccg/fh/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG