Bagdá, 23 ago (EFE).- O suposto autor intelectual de um dos atentados ocorridos na última quarta-feira em Bagdá, nos quais 87 pessoas morreram, confessou hoje que o partido Baath, ocupante do poder durante o regime de Saddam Hussein, teve envolvimento nos ataques.

Em uma gravação divulgada pela televisão estatal iraquiana, o suposto terrorista, cuja detenção foi anunciada hoje pelas autoridades, foi identificado como Kazem Ibrahim, nascido em 1952 na cidade de Al-Muqdadiya e membro do Baath.

Segundo o porta-voz do comando central de operações do Exército Qasem Ata, o detido é o suposto autor intelectual do atentado cometido nas imediações do Ministério das Finanças, onde um suicida detonou um caminhão-bomba.

O ataque contra o Ministério fez parte da onda de atentados ocorridos na quarta-feira que deixou 87 mortos e 1.203 feridos, de acordo com o número oficial de vítimas.

Em entrevista coletiva, Ata disse que haverá a divulgação das confissões de outros detidos por sua suposta relação com os atentados.

Na sexta-feira, as autoridades anunciaram a detenção de vários suspeitos relacionados com os ataques e supostamente vinculados ao Baath, que foi ilegalizado após a queda do regime de Saddam Hussein, em abril de 2003, e que monopolizou a vida política do Iraque desde 1968. EFE am-aj-ssa/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.