Suposto autor do massacre na Noruega diz ter agido sozinho

Segundo polícia e advogado de suspeito, Anders Behring Breivik assumiu a responsabilidade pelo duplo ataque de sexta-feira

iG São Paulo |

AFP/ Facebook
Imagem sem data tirada do Facebook mostra homem identificado como suspeito pelos ataques na Ilha de Utoya e em Oslo, Noruega
O suposto autor do duplo atentado na Noruega, Anders Behring Breivik, de 32 anos, disse ter agido sozinho, confirmaram neste domingo fontes policiais. Breivik, a quem foi atribuído um manifesto de 1,5 mil páginas , afirmou ter cometido o ataque com carro-bomba na capital, Oslo, que deixou sete pessoas, e o massacre de 86 em um acampamento para jovens na Ilha de Utoeya , ambos na sexta-feira. Segundo a polícia, ainda há quatro desaparecidos na ilha.

De acordo com a polícia e Geir Lippestad, o advogado de Breivik, o suspeito, porém, rejeitou responsabilidade criminal pelo dia que chocou a pacífica Noruega e representou o mais mortal para o país desde a Segunda Guerra Mundial . Ele foi acusado de terrorismo e deve ser indiciado na segunda-feira.

Apesar de Breivik ter admitido a culpa pelos dois ataques, a polícia realizou neste domingo uma operação em um bairro de Oslo . Sobreviventes do massacre na ilha dizem que havia dois atiradores, e no sábado a polícia confirmou que investigava esses relatos, não descartando a existência de um segundo suspeito . "Ele diz ter agido sozinho, mas a polícia precisa verificar tudo. Alguns dos testemunhos coletados na ilha nos fez questionar se havia um ou mais atiradores", disse chefe de polícia Sveinung Sponheim.

A polícia analisa agora o documento intitulado "2083 - Uma Declaração Europeia de Independência", postado em inglês no dia do atentado duplo. Nele, o suspeito afirma que a elite europeia, "os multiculturalistas" e os "enaltecedores da islamização" seriam punidos por seus "atos de traição". O texto também declara a "guerra de sangue" contra os imigrantes muçulmanos e os marxistas.

Funeral

Neste domingo, houve funerais das vítimas em diversas partes do país, incluindo na principal catedral luterana norueguesa, em Oslo.

O rei norueguês Haroldo V e sua esposa, a rainha Sônia, estiveram na catedral juntamente com o primeiro-ministro, Jens Stoltenberg. O premiê disse aos presentes que os dois dias desde o ataque parecem "uma eternidade e as noites são repletas de angústia e lágrimas". "Cada um dos que nos deixaram é uma tragédia. Uma tragédia nacional", disse.

Justificativa

O advogado de Breivik disse que o ataque foi planejado por algum tempo. "Ele considerou ser uma crueldade ter que cometer esses atos, mas, em sua mente, eram necessários", afirmou à imprensa norueguesa. "Ele queria uma mudança na sociedade e, son essa perspectiva, ele precisava pressionar por uma revolução. Ele queria atacar a sociedade e sua estrutura."

O atirador foi preso com a chegada da polícia, cerca de 90 minutos após o início do massacre no campo de verão para a juventude organizado pelo Partido Trabalhista. Lippestad disse que Breivik se rendeu quando sua munição acabou.

Ele disse ter ido até Utoya para "dar um aviso ao Partido Trabalhista de que o dia do juízo final está próximo a menos que eles mudem suas políticas". O advogado afirmou que seu cliente permaneceu calmo durante o interrogatório de dez horas. "Acredito que ele percebe o que fez e se considera capaz mentalmente", afirmou.

AP
Pessoas se abraçam após uma 'missa pelo lamento e a esperança' na Catedral de Oslo, Noruega
Templários

Acredita-se que o suspeito tenha ligações com grupos extremistas de direita. Imagens suas portando uma arma apareceram em um vídeo anti-islâmico chamado Cavalheiros Templários 2083 divulgado no site YouTube.

O vídeo e o manifesto de 1,5 mil páginas fazem referências ao multiculturalismo e a imigração de muçulmanos. O autor se diz ser um seguidor dos templários, ordem cristã medieval envolvida nas cruzadas e por vezes reverenciada por defensores da supremacia branca.

*Com EFE, BBC e AP

    Leia tudo sobre: noruegaexplosãoosloutoyanoruega sob ataque

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG