Rabat, 7 abr (EFE) - Os nove presos fundamentalistas condenados pelos atentados terroristas de maio de 2003 em Casablanca e que fugiram hoje da prisão central de Kenitra ameaçaram, em uma suposta carta, reagir caso as autoridades tentem feri-los. A carta supostamente emitida pelos fugidos, datada de hoje em Casablanca e distribuída aos jornalistas pela internet, pretende justificar a fuga. No documento, os signatários indicam que se as autoridades tentarem nos ferir, vamos reagir.

O texto, no qual não se especifica o conteúdo da ameaça, indica que a responsabilidade da fuga, que foi constatada esta manhã pela administração penitenciária depois da revista cotidiana por parte dos guardas, não deve recair sobre nenhum outro preso ou agente penitenciário.

Os presos fundamentalistas conseguiram escapar através de um túnel escavado até a saída da prisão desde as duas celas contíguas nas quais estavam reclusos nessa prisão marroquina, a maior do país e situada em uma região isolada da cidade, acrescentaram as fontes.

EFE hm/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.