Sunitas e xiitas firmam pacto para pôr fim a choques em Trípoli

Beirute, 8 set (EFE) - Os principais líderes sunitas e xiitas do Líbano assinaram hoje um acordo de reconciliação que procura pôr fim aos confrontos entre as comunidades muçulmanas que ocorrem há meses na cidade de Trípoli (norte). O pacto, promovido pelo primeiro-ministro libanês, Fouad Siniora, inclui o fim dos combates registrados desde maio em Trípoli e que opõem sunitas, apoiados pela maioria parlamentar, a xiitas, que recebem o respaldo da oposição. Além disso, as partes se comprometem a manter a paz e a estabilidade, a deixar de fazer manifestações violentas, assim como a indenizar pelos danos causados durante os choques armados. O acordo estabelece também que Trípoli fique sob a jurisdição das forças de segurança libanesas. Esta tentativa de reconciliação conta com o beneplácito do líder da maioria parlamentar libanesa, Saad Hariri, e do chefe do grupo xiita Hisbolá, Hassan Nasrallah, que lidera a oposição. Hariri disse hoje que a situação em Trípoli é triste porque esta é a cidade da coexistência e não há diferença entre um cidadão e outro, qualquer que seja sua religião, e desejou que a reconciliação consolide a segurança, a estabilidade e a confiança entre seus habitantes. O acordo de reconciliação foi assinado hoje na residência do mufti Chaar, o máximo dignatário religioso de Trípoli. Antes de assinar o documento de hoje, Siniora elogiou o papel de Trípoli na consolidação da fisionomia da cidade, na coexistência cristã-muçulman...

EFE |

Ele insistiu em que o documento assinado hoje implica em que as forças de segurança assumam sua total responsabilidade. "Aqueles que instigam os conflitos são os inimigos da cidade, e não serão protegidos", acrescentou.

Siniora expressou também sua esperança de que "o espírito de conciliação (que reina em Trípoli a partir do acordo de hoje) se estenda a outras regiões do país". EFE ks/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG