Por Esteban Israel HAVANA (Reuters) - Fidel Castro completa 82 anos na quarta-feira e, apesar da invisibilidade dos últimos tempos, continua muito influente ao lado do presidente de Cuba, Raúl Castro, seu irmão.

Ninguém sabe como Fidel festejará este aniversário, o terceiro desde que ele adoeceu e se afastou do poder, em julho de 2006, e o primeiro desde que foi definitivamente substituído por Raúl na chefia de Estado.

O semanário Tribuna de La Habana, do Partido Comunista, deu-lhe os parabéns e afirmou que Fidel 'sempre esteve na primeira linha de combate, desbravando o caminho'.

Fidel não aparece em público desde que adoeceu, e sua última imagem em vídeo é de junho. Mas continua escrevendo artigos regulares na imprensa estatal, que podem ser lidos no site Cubadebate (www.cubadebate.cu).

Na terça-feira, pelo jornal Granma, ele aplaudiu Raúl por ter declarado apoio à Rússia no conflito com a Geórgia pela região separatista da Ossétia do Sul.

Alguns vêem Fidel como garantia de estabilidade no processo de reformas realizado por Raúl para melhorar a qualidade de vida dos cubanos, mas sem desviar o país do socialismo.

'Fidel continua mandando no jogo. Está a par de tudo, e não acho, por enquanto, que irão acontecer mais mudanças do que vimos', disse o mecânico Reynaldo Feria, de 47 anos.

Depois de assumir a Presidência, em fevereiro, Raúl liberou a venda de celulares e computadores, descentralizou a agricultura e estabeleceu uma correlação entre os salários e a produtividade.

Na semana passada, porém, ele disse sob um imenso retrato de Fidel que a crise econômica internacional o impede de ir mais rápido. Há quem diga, porém, que é o ex-presidente que também freia as reformas.

Frank Mora, analista de Cuba na Escola Nacional de Guerra em Washington, acha que Fidel mantém poder de veto em assuntos importantes. 'Estamos numa situação de contenção, e muito mais definido estará quando entrarmos definitivamente no período pós-Fidel', afirmou.

O semanário Tribuna de la Habana disse que Fidel continua sendo 'o máximo líder'. Apesar de Fidel ter renunciado em fevereiro a todos os seus títulos, continua sendo chamado de 'Comandante'.

O aniversário de Fidel, nascido a 13 de agosto de 1926 na propriedade rural de seus pais, no leste de Cuba, não é feriado em Cuba.

(Reportagem adicional de Rosa Tania Valdés em Havana)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.