Por Louis Charbonneau NAÇÕES UNIDAS (Reuters) - O secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, pretende substituir a polêmica Louise Arbour pela juíza sul-africana Navanethem Pillay no cargo de alto-comissária de Direitos Humanos, disseram diplomatas na quinta-feira.

Pillay, atualmente juíza do Tribunal Penal Internacional, em Haia, atuou como advogada em favor dos direitos de Nelson Mandela e de outros ativistas que foram vítimas do regime do apartheid na África do Sul.

Vários diplomatas disseram à Reuters, sob anonimato, que Ban Ki-Moon deve anunciar a substituição já a partir de sexta-feira.

A canadense Arbour disse em março que não queria um segundo mandato de quatro anos como alto-comissária. O mandato dela terminou em 30 de junho.

Filha de um motorista de ônibus, Pillay nasceu em 1941 e cresceu num bairro pobre da comunidade indiana em Durban. Sua pele escura, típica da etnia tâmil, rendeu a ela muita discriminação na época do apartheid.

Os outros dois candidatos da lista tríplice para o cargo eram Hina Jilani, do Paquistão, representante especial da ONU para os defensores dos direitos humanos, e o argentino Juan Méndez, representante especial para questões de genocídio.

A indicação de Pillay ainda precisa ser aprovada pela Assembléia-Geral da ONU.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.