Sul do Sudão anuncia que líder local será candidato à presidência

Cartum, 27 jul (EFE).- O Movimento Popular para a Libertação do Sudão (MPLS), que governa o sul do país, anunciou hoje que seu líder, Silva Kir, se apresentará como candidato às eleições presidenciais do próximo ano.

EFE |

Após uma reunião do escritório político do MPLS em Yuba, capital do sul do Sudão, o porta-voz do grupo, Yasser Armam, disse para jornalistas que seu movimento se apresentará às eleições legislativas e presidenciais do ano que vem.

Para garantir a transparência do pleito, Armam pediu a formação de um conselho eleitoral nacional com pessoas conhecidas por sua "independência e integridade" para que não se repitam no Sudão episódios como os que aconteceram no Zimbábue e no Quênia.

Também pediu que a região de Darfur (oeste) participe do processo eleitoral.

Além disso, o porta-voz do MPLS explicou que sua organização traçou uma estratégia para o pleito, que será discutida para sua aprovação no próximo Conselho de Libertação Nacional de seu grupo, integrado por 295 membros.

O Parlamento sudanês aprovou no último dia 7 uma nova lei eleitoral que permite a participação de partidos políticos nos pleitos legislativos e presidenciais pela primeira vez em quase duas décadas.

Esta norma foi aprovada no âmbito da transição democrática que prevê o acordo de paz, assinado em 9 de janeiro de 2005 entre o Governo do Sudão e os rebeldes do sul, e que pôs fim a 21 anos de guerra civil.

O pacto também prevê a realização de eleições em todo o país antes de 2009.

Este acordo acabou com um conflito que causou a morte de 2 milhões de pessoas em combates entre o norte muçulmano e os rebeldes do sul desde 1983, quando Cartum impôs a sharia (lei islâmica) em todo o país, inclusive no sul, onde a população é majoritariamente animista ou cristã. EFE az/ab/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG