Pequim - Quando a China ainda não se recuperou do terremoto de Sichuan, o sul do país prevê suas piores inundações em 50 anos, com aumentos nos rios que obrigam a preparar retiradas maciças, informou hoje a agência de notícias Xinhua.

AFP

           Moradores enfrentam correnteza de enchente para chegar na casa

O número de mortos na província de Cantão (sul) e outras províncias afetadas pelas potentes chuvas de verão (hemisfério norte) e as inundações se mantêm em, pelo menos, 57, com 1,27 milhão de realojados e 17,87 milhões de atingidos.

O rio Xijiang, com um volume de 46.800 metros cúbicos por segundo, e o Beijiang, com 15.200 metros cúbicos por segundo, convergiram ontem, segunda-feira, na cidade cantonesa de Foshan, segundo o relatório dos quartéis provinciais de controle de inundações.

AP
AP
Após terremoto, temporais deixaram pelo menos 57 mortos
O perigo de inundações piora devido à posição da lua, cuja influência será maior na próxima quarta-feira, o que representa uma ameaça para os diques fluviais do seu delta, segundo especialistas citados pela agência chinesa.

As previsões meteorológicas indicam que durante os próximos dois dias as chuvas continuarão afetando às áreas pelas quais os rios Xijiang e Beijiang percorrem.

Perante esta ameaça, as autoridades locais ordenaram reforçar os diques em nove cidades, entre elas Cantão capital da província, e preparar a evacuação dos residentes expostos às inundações previstas.

O delta do Rio da Pérola concentra a produção manufatureira da China, enquanto a cidade de Cantão é a que registra um maior crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de todo o país, com mais de US$ 375 bilhões em 2006.

As chuvas registradas na província desde o dia 6 de junho causaram a morte de 20 pessoas, e outras 8 permanecem desaparecidas, de um total de 5,76 milhões de afetados.

A região vizinha autônoma de Guangxi Zhuang se viu obrigada a realojar quase um milhão de pessoas, e as autoridades locais ordenaram também reforçar os diques ao longo do rio Xijiang.

Nesta região, mais de 7,5 milhões de pessoas foram afetadas pelas chuvas.

Na província de Guizhou (sudoeste) 12 cidades estão afetadas pelas tempestades, com mais de 400 casas inundadas e milhares de hectares de cultivos destruídas.

As chuvas de verão causam a cada ano no sul da China inundações e milhares de mortes, com mais de mil no ano passado.

Leia mais sobre: China

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.