Suíça diz que seu mediador na Colômbia nunca transportou dinheiro das Farc

Bogotá, 17 jul (EFE).- O embaixador da Suíça na Colômbia, Thomas Kupfer, afirmou hoje que não recebeu nenhuma demanda formal contra o mediador perante as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) Jean-Pierre Gontard e esclareceu que ele nunca foi portador do dinheiro que uma empresa suíça e os rebeldes negociaram pela liberdade de dois seqüestrados.

EFE |

O diplomata afirmou em entrevista publicada hoje pelo jornal "El Tiempo" que Gontard contribuiu para o êxito da negociação entre uma empresa suíça e as Farc para conseguir a libertação dos dois funcionários de nacionalidade mexicana e brasileira seqüestrados em 2001.

"Gontard contribuiu para o êxito da negociação entre a empresa e as Farc, e ele nunca foi o portador deste dinheiro e a empresa suíça também confirma isto com toda clareza", declarou sobre as acusações que fez o ministro da Defesa, Juan Manuel Santos, de que ele transportou US$ 500 mil dos rebeldes para a Costa Rica.

A empresa suíça em questão é a Novartis, cujo presidente, Daniel Vasella, negou publicamente que Gontard tenha levado o dinheiro do resgate de seus dois funcionários e, pelo contrário, destacou o papel que este teve na libertação dos seqüestrados.

Sobre a decisão da Promotoria da Colômbia de indagar o mediador suíço sob acusações de transportar dinheiro para as Farc, o diplomata afirmou que já "tomaram nota" da intenção desta entidade de contatar Gontard.

"Por enquanto não recebemos nenhuma demanda formal, mas se isto acontecer nós colaboraremos segundo os procedimentos previstos neste tipo de caso em todos os estados de direito como o são Colômbia e Suíça", declarou após ressaltar que seu país reconhece a independência da justiça colombiana. EFE fer/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG