Suíça confirma visita a turistas dos EUA presos no Irã

GENEBRA (Reuters) - Diplomatas suíços foram autorizados na terça-feira a visitar três turistas norte-americanos presos no Irã, segundo um porta-voz da chancelaria do país europeu. O trio foi detido no final de julho, depois de violar a fronteira do Irã vindos do norte do Iraque.

Reuters |

"Posso confirmar (...) que diplomatas suíços tiveram aceso e contato direto com os três cidadãos norte-americanos hoje no Irã," disse o porta-voz Lars Knuchel por telefone à Reuters de Berna, a capital suíça.

Ele não quis dar mais detalhes, dizendo que isso caberia ao Departamento de Estado dos EUA.

A Suíça representa os interesses norte-americanos no Irã desde 1980, meses após a instauração da Revolução Islâmica. As visitas aconteceram às vésperas de um encontro entre o Irã e seis potências nucleares que está sendo organizado pelos suíços em Genebra.

A seção de interesses norte-americana na embaixada da Suíça em Teerã trata de todos os assuntos consulares dos EUA no Irã, como proteção consular e pedidos de passaportes para cidadãos norte-americanos que visitem ou residam no país.

Em Washington, o Departamento de Estado dos EUA confirmou que o Irã ofereceu acesso consular aos três turistas. O porta-voz P.J. Crowley afirmou que a embaixadora suíça no Irã havia sido autorizada a visitar o trio.

Parentes de Shane Bauer, 27 anos, Sarah Shourd, 31, e Josh Fattal, 27, dizem que eles violaram a fronteira acidentalmente, há quase dois meses.

Em entrevista neste mês à rede norte-americana de TV NBC, o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, sugeriu que a libertação dos norte-americanos poderia ser vinculada à soltura de diplomatas iranianos que, segundo ele, foram detidos por tropas dos EUA no Iraque.

(Reportagem de Stephanie Nebehay em Genebra e Andrew Quinn em Washington)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG