Uma mulher de 32 anos totalmente paralisada morreu nesta quarta-feira, na Suécia, após o desligamento do aparelho respiratório que a mantinha viva, anunciou o hospital, reconhecendo o primeiro caso de de eutanásia no país." /

Uma mulher de 32 anos totalmente paralisada morreu nesta quarta-feira, na Suécia, após o desligamento do aparelho respiratório que a mantinha viva, anunciou o hospital, reconhecendo o primeiro caso de de eutanásia no país." /

Suécia tem sua primeira eutanásia autorizada

Uma mulher de 32 anos totalmente paralisada morreu nesta quarta-feira, na Suécia, após o desligamento do aparelho respiratório que a mantinha viva, anunciou o hospital, reconhecendo o primeiro caso de de eutanásia no país.

AFP |

Uma mulher de 32 anos totalmente paralisada morreu nesta quarta-feira, na Suécia, após o desligamento do aparelho respiratório que a mantinha viva, anunciou o hospital, reconhecendo o primeiro caso de de eutanásia no país.

"A paciente, que havia pedido o desligamento do aparelho em carta enviada à Direção Nacional de Saúde, morreu às 15H33 GMT (12H33 Brasília), após ter o sistema de respiração artificial desconectado", declarou à AFP Annakarin Svenningsson, porta-voz do hospital de Danderyd, em Estocolmo.

Em 26 de abril, a autoridade de saúde sueca autorizou o desligamento do aparelho, após o sinal verde da Sociedade de Medicina da Suécia.

A legislação sueca autoriza um paciente a interromper o tratamento, mas considera crime a ajuda à eutanásia.

"Não quero sofrer nem perder mais tempo. O aparelho respiratório é a única coisa que me mantém viva", escreveu a mulher ao pedir a eutanásia, cujo nome não foi divulgado.

A mulher vivia nesta situação desde os seis anos de idade.

map/LR/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG