SUÉCIA - A Direção de Assuntos Sociais da Suécia eliminará da lista de doenças várias comportamentos sexuais como o transformismo, o fetichismo e o sadomasoquismo, anunciou hoje o jornal Dagens Nyheter.

O objetivo é não reforçar os preconceitos que possam existir sobre estas condutas.

"Não queremos contribuir para que certas condutas sejam tidas como doenças. A sociedade não tem que se intrometer neste tipo de preferências sexuais de cada indivíduo", disse ao jornal Lars-Erik Holm, diretor-geral de Assuntos Sociais.

A eliminação da conduta da lista de diagnósticos será efetivada em 1º de janeiro e incluirá também outras três: o transformismo fetichista, as alterações de identidade sexual na infância e os transtornos múltiplos de preferência sexual.

Holm ressaltou que estes diagnósticos que agora serão eliminados provêm de uma época na qual "tudo o que não fosse uma postura heterossexual era considerado uma perversão sexual".

O Sistema de Saúde usa os diagnósticos para elaborar estatísticas sobre suas atuações, embora comumente seja considerado um registro de doenças.

Uma mudança semelhante foi feita em 1979, quando o homossexualismo deixou de ser tratado como doença.

O departamento de Assuntos Sociais anunciou que trabalhará para conseguir que outros países - a começar pelos demais nórdicos - e a Organização Mundial da Saúde (OMS) revejam suas considerações sobre estas condutas sexuais.

Leia mais sobre sexualidade

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.