Suécia exigirá acesso de observadores da UE a Abkházia e Ossétia do Sul

Tbilisi, 17 jul (EFE).- O ministro de Exteriores da Suécia, Carl Bildt, assegurou hoje que a Presidência rotativa da União Europeia (UE), ocupada atualmente pela Suécia, exigirá o acesso de observadores comunitários a todo o território da Geórgia.

EFE |

"A UE exigirá a plena aplicação do mandato de sua missão na Geórgia e o acesso de seus observadores a todo o território do país", assegurou Bildt, em uma entrevista coletiva, na cidade georgiana de Zugdidi.

O diplomata insistiu que "segundo o mandato da missão da UE, as tarefas de supervisão devem ser realizadas em todo o território da Geórgia, incluindo a Abkházia e a região de Tskhinvali, na Ossétia do Sul".

"O principal tema das conversas entre a UE e a Rússia no futuro será o pleno cumprimento russo do acordo sobre o cessar-fogo entre Moscou e Tbilisi", disse.

As regiões separatistas da Abkházia e Ossétia do Sul se negam a permitir a entrada de observadores civis da UE, por considerar que a comunidade tomou partido em favor de Tbilisi na guerra russo-georgiana de agosto de 2008.

Bildt também antecipou que a UE abordará o assunto do prolongamento de sua missão nas próximas semanas, presente na região desde o dia 1º de outubro de 2008.

O chefe da diplomacia sueca lidera a delegação que chegou ontem à Geórgia para inspecionar o trabalho dos observadores civis.

Bildt e a delegação da UE tiveram um encontro com o presidente da Geórgia, Mikhail Saakashvili, e se reuniram hoje com os refugiados georgianos expulsos da Abkházia. EFE mv-io/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG