Suécia diz que UE deve considerar excesso de produção ao ajudar montadoras

Bruxelas, 1º mar (EFE).- O primeiro-ministro da Suécia, Fredrik Reinfeldt, disse hoje que a indústria automobilística europeia tem um problema de excesso de capacidade produtiva, que não deve ser ignorado na hora de serem aprovadas medidas extraordinárias de apoio ao setor.

EFE |

Ao comentar a crise que atinge as montadoras, uma das principais indústrias da União Europeia (UE), Reinfeldt declarou à imprensa: "Temos que partir do ponto correto".

"Temos uma capacidade de produção de carros na Europa de 18 milhões de unidades e acho que a demanda fica em torno de 11 ou 12 milhões", disse Reinfeldt ao chegar para a cúpula extraordinária que os chefes de Estado ou de Governo da UE realizam hoje em Bruxelas.

Na opinião do premiê, não é possível discutir se é legítimo um tirar o emprego do outro "sem fazer frente ao problema principal", que é "um excesso de capacidade que precisa ser reduzido".

"E reduzi-lo de forma competitiva, em conformidade com as normas de ajuda do Estado e com o objetivo de, no futuro, produzir carros mais respeitosos com o meio ambiente, como já fazem muitos Governos, incluindo o meu", afirmou.

Por outro lado, o premiê reconheceu que a situação financeira e orçamentária de alguns países-membros da UE é "preocupante".

Por isso, pediu a todos os governantes do bloco que mostrem sua solidariedade. EFE jms/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG