Suécia confirma que armas apreendidas com Farc foram vendidas à Venezuela

Bogotá, 28 jul (EFE).- O Governo da Suécia confirmou hoje à imprensa colombiana que várias armas produzidas nesse país e apreendidas recentemente à guerrilha das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) foram vendidas à Venezuela no final dos anos 80.

EFE |

"Conseguimos confirmar isso através dos números de série, em cooperação com o Governo da Colômbia", disse à emissora "La W" o ministro do Comércio sueco, Jens Ericsson.

O ministro acrescentou que as armas correspondem a um lote "vendido há 20 anos".

O diretor-geral do Órgão de Inspeção de Produtos Estratégicos desse país, encarregado de supervisionar as exportações de armas, Jan-Erik Lövgren, também falou a emissoras colombianas.

Os dois coincidiram em que os números de série dos lança-foguetes confiscados das Farc, oferecidos pelo Governo colombiano, correspondem a armamento que a Suécia vendeu à Venezuela no final dos anos 80.

Com esses números, "foi possível rastrear os envios feitos no final dos anos 80 à Venezuela", disse Lövgren.

Em declarações a rádio "RCN", Lövgren qualificou de "muito grave" que essas armas tenham caído nas mãos de grupos irregulares e, por isso, o Governo sueco iniciou uma investigação a respeito.

Ericsson disse que ainda não receberam uma resposta oficial da Venezuela a seus pedidos de informação sobre o assunto.

O presidente colombiano, Álvaro Uribe, disse no fim de semana passado que seu Governo verificou que "grupos terroristas adquiriram lança-foguetes de marca nos mercados internacionais" e que, diante disso, reclamou "através dos canais diplomáticos perante os respectivos países", aos quais não citou. EFE mb/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG