Suécia aprova lei para monitorar ligações e emails

O parlamento sueco aprovou, na quarta-feira, uma lei controversa que permite às autoridades grampear ligações telefônicas e interceptar emails e faxes. A nova legislação foi aprovada por uma maioria apertada de cinco votos depois de um longo debate no Parlamento em Estocolmo.

BBC Brasil |

O governo afirma que a lei possibilitará rastrear comunicações entre pessoas que se servem da tecnologia para planejar ataques e tem como objetivo proteger a segurança nacional.

A partir de agora, as autoridades do Departamento de Inteligência sueco não precisarão mais da permissão de um tribunal para interceptar qualquer tipo de comunicação via internet ou telefone que cruzar as fronteiras do país.

Logo após aprovação da lei, um grupo de pessoas se reuniu em frente ao Parlamento para protestar.

Grupos de defesa de liberdades civis criticam a decisão dizendo que a lei é uma das mais intrusivas do mundo e que atividades terroristas "não são facilmente identificadas por serviços de vigilância deste tipo".

Eles dizem que as pessoas comuns serão as mais prejudicadas pela lei.

"Ao introduzir a legislação, o governo sueco está seguindo exemplos de governos como o da China e da Arábia Saudita e do programa americano altamente criticado que faz escutas por trás das portas", disse Peter Fleischer, do Google.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG