Doha, 29 mar (EFE).- O ministro de Assuntos Exteriores do Sudão, Ali Karti, disse hoje, em Doha, que a presença do presidente de seu país, Omar al-Bashir, na cúpula árabe favorece a resistência sudanesa contra a ordem de detenção do Tribunal Penal Internacional (TPI).

Karti fez estas declarações a um grupo de jornalistas, pouco depois da chegada de Bashir a Doha, onde, amanhã, começará a 21ª cúpula da Liga Árabe.

Em 4 de março, o TPI decretou a prisão do presidente sudanês por seu envolvimento em crimes de guerra e lesa-humanidade no conflito de Darfur, que começou em fevereiro de 2003 e já matou 300 mil pessoas.

Na conversa com os jornalistas, Karti desmentiu que o Sudão tenha proposto a realização de uma cúpula de solidariedade árabe em Cartum.

"Não pedimos uma cúpula de solidariedade", disse o ministro, que acrescentou que vários países propuseram visitar o presidente sudanês para mostrar seu apoio.

Sobre a participação de Bashir na reunião no Catar, o funcionário afirmou que, antes de a viagem para Doha ser decidida, o Parlamento sudanês "estudou o interesse desta cúpula para o Sudão" e a situação de segurança.

O ministro lembrou que a presença de Bashir responde a um duplo convite por do país anfitrião, o último dele de nível ministerial.

Desde que o TPI pediu a prisão de Bashir, o chefe de Estado já visitou a Eritréia, o Egito e a Líbia. EFE jfu/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.