Cartum, 30 out (EFE).- O Ministério do Interior sudanês confirmou hoje que quatro dos nove trabalhadores chineses seqüestrados em 18 de outubro morreram em uma troca de tiros entre seus seqüestradores e as forças governamentais.

O Governo fez este anúncio três dias depois que o porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores do Sudão, Ali al-Sadeq, afirmou que eram cinco os mortos e que, em nenhum momento, as forças de segurança sudanesas atacaram o grupo de seqüestradores.

O porta-voz do Conselho de Ministros sudanês, Omar Mohammed Saleh, afirmou em entrevista coletiva posterior a uma reunião que o ministro do Interior, Ibrahim Mahmoud Hamed, negou que os quatro chineses, que trabalhavam no setor de petróleo na região de Kurdufan, foram assassinados a sangue frio por seus seqüestradores.

Além disso, afirmou que os quatro morreram durante um tiroteio.

Segundo Hamed, outros três seqüestrados ficaram feridos, enquanto os outros dois restantes continuam em paradeiro desconhecido. EFE az/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.