Cartum, 30 jun (EFE).- O Sudão anunciou hoje um novo adiamento das eleições gerais, que agora serão em abril e não em fevereiro, como tinha sido previsto anteriormente.

O chefe da Comissão Eleitoral do Sudão, Abel Aler, explicou em Cartum que o adiamento de dois meses do pleito se deve a que em fevereiro começa a estação das chuvas.

Outro dos motivos para a decisão é o atraso do anúncio do censo, que devia ter sido feito em dezembro de 2008, e não em maio passado.

Segundo Aler, isso "produziu um atraso no registro eleitoral".

Trata-se da segunda vez que o Sudão adia a realização das eleições parlamentares e presidenciais, já que em abril passado anunciou que passariam de julho de 2009 para fevereiro de 2010.

De acordo com o tratado de paz assinado em janeiro de 2005 entre o Governo e os insurgentes do sul do país, as eleições deveriam acontecer depois de 9 de julho de 2009.

No entanto, segundo as autoridades sudanesas, a Comissão Eleitoral tem autorização para escolher a data mais conveniente, embora seja fora do prazo estabelecido no acordo de paz.

O acordo pôs fim a uma guerra que deixou dois milhões de mortos pelos combates entre o norte muçulmano e os rebeldes do sul, que pegaram em armas em 1983 quando o regime de Cartum impôs a "sharia" (lei islâmica) em todo o país, incluindo o sul, de maioria animista ou cristã. EFE az/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.