Sudaneses são condenados a pena capital por morte de diplomata americano

Cartum, 24 jun (EFE).- Quatro islamitas sudaneses foram condenados hoje à pena de morte pelo assassinato do diplomata americano John Granville ocorrido em 1º de janeiro de 2008, segundo informaram à Agência Efe fontes judiciais em Cartum.

EFE |

Um tribunal da capital sudanesa foi o responsável pela condenção dessas quatro pessoas, sobre as que não se sabe mais detalhes.

No dia 1º de janeiro de 2008, Granfield e seu motorista, Abdel-Rahman Abbas, foram mortos a tiros após comemorarem o Ano Novo na embaixada do Reino Unido em Cartum.

Granville, de 33 anos, era funcionário da organização de ajuda humanitária americana USAID.

Um quinto acusado foi condenado hoje a dois anos de prisão. Todos os processados pertencem ao grupo islamita Ansar al Tawhid, original do norte do Sudão.

A embaixada dos EUA em Cartum advertiu hoje que grupos islamitas ameaçaram cometer atos violentos contra o Governo sudanês e interesses ocidentais, mas não divulgou mais detalhes.

A representação diplomática americana pediu a seus cidadãos que moram em Cartum para que só se desloquem pela capital entre 12h e 18h (horários locais). EFE nz-aj-jrg/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG