Por Andrew Heavens CARTUM/JUBA (Reuters) - Um dirigente do partido governista sudanês acusou na quinta-feira a oposição de se preparar para rejeitar o resultado das eleições e causar caos no país, de modo a derrubar o governo por meio de uma revolução popular.

A acusação do assessor presidencial Nafie Ali Nafie, um dos homens mais poderosos do maior país africano, acirrou as tensões ao final dos cinco dias de eleição presidencial e legislativa.

Um partido citado por Nafie qualificou as acusações de "completamente falsas". Outros grupos não se manifestaram.

À primeira eleição multipartidária do país em 24 anos coloca à prova a estabilidade do Sudão, após décadas de guerra civil, e meses antes de um referendo que pode levar à secessão do sul.

Vários partidos de oposição, a maioria do sul, boicotaram a eleição, mas o partido governista, com sede no norte, disse nesta semana que aceitaria a presença deles em um governo de união nacional.

(Reportagem de Andrew Heavens e Opheera McDoom em Cartum e Skye Wheeler em Juba)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.