Sucessão nos EUA preocupa Polônia sobre escudo antimísseis

Varsóvia, 16 jan (EFE).- O Governo da Polônia espera conhecer o futuro do escudo antimísseis após a posse do novo presidente americano, Barack Obama, que se mostrou cético sobre esse projeto, disse hoje Slawomir Nowak, chefe do gabinete do primeiro-ministro polonês.

EFE |

Nowak assinalou que o Governo polonês aguarda "um comunicado claro" de Washington sobre esta questão, apesar de, em agosto, a secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, e o ministro de Relações Exteriores da Polônia, Radoslaw Sikorski, terem assinado o acordo final para desdobrar o sistema de foguetes.

Em declarações à rádio pública polonesa, Nowak explicou que a Comissão de Defesa do Congresso dos EUA assegurou-o de que o plano "mantém seu vigor, mas que ainda há tempo para analisar tudo e revisar os documentos, embora não exista intenção de modificar o anterior projeto".

O sistema de foguetes prevê a instalação de dez plataformas de lançamento no norte da Polônia e uma estação de radar na República Tcheca, o que permitirá, segundo assinalava o Governo de George W.

Bush, interceptar ataques de mísseis, sobretudo aqueles que possam ter sua origem em algum dos países do chamado "eixo do mal", como o Irã ou Coreia do Norte.

Embora poloneses e americanos se esforcem em afirmar que este sistema balístico é apenas defensivo, a Rússia o classificou como agressão a sua zona de segurança e um retorno aos tempos da Guerra Fria, o que motivou fortes ameaças por parte do Kremlin. EFE nt/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG