Substituto de paralimitar extraditado aos EUA é detido na Colômbia

Bogotá, 28 jul (EFE).- A Polícia colombiana deteve hoje um chefe de um grupo criminoso a serviço do tráfico de drogas que tinha substituído o paramilitar Carlos Mario Jiménez, conhecido como Mono, extraditado aos Estados Unidos em maio.

EFE |

Fontes da Direção de Polícia Judicial e Investigação (Dijin) explicaram que, em um primeiro momento, foi detido em Envigado, noroeste, o substituo de "Mono" e chefe do grupo Aguilas Negras, Jacinto Nicolás Fuentes Germán, conhecido como "Don Leo".

Segundo as fontes, "Don Leo" foi designado por "Mono" para que "assumisse o comando da organização", e esse "criou alianças estratégicas com grupos pertencentes às Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc)" em regiões do sul de Bolívar (norte) e dos Llanos Orientales.

Essas alianças tinham como propósito "abranger o negócio do narcotráfico no resto do território nacional e fortalecer seu braço armado encarregado de exercer o acerto de contas e extorsões na região".

Após a extradição para os EUA de "Mono", "Don Leo", segundo as fontes, "ficou à frente da organização criminosa, assumindo o controle total da estrutura armada e do negócio do narcotráfico".

A Polícia considera que, além de desmantelar a rede de narcotráfico mais importante do sul de Bolívar, com a detenção de "Don Leo" as finanças da frente 24 das Farc seriam afetadas, "já que esta pessoa sustentava negócios de narcotráfico com o grupo subversivo ao comando de 'Jairo Mechas'".

Alguns dos antigos comandantes, no entanto, continuaram cometendo delitos, segundo o Governo, e em 13 de maio foram extraditados 13 desses ex-chefes paramilitares, uma semana após o envio de "Mono", também para os EUA. EFE rrm/bm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG