Substituir McChrystal não ajudará Afeganistão, diz Karzai

Principal comandante dos EUA no Afeganistão teria zombado de autoridades civis do governo; ele dá explicações a presidente hoje

iG São Paulo |

O presidente afegão Hamid Karzai afirmou nesta quarta-feira que substituir o comandante americano das forças internacionais no Afeganistão, o general Staley McChrystal, não ajudará a resolver o conflito que atinge o país, declarou seu porta-voz.

"O presidente considera que estamos numa situação delicada com nossos parceiros, em nossa guerra contra o terrorismo, no processo de trazer a paz e a estabilidade ao Afeganistão, e que qualquer brecha nesse processo não ajudará", afirmou Waheed Omar.

Karzai já havia expressado sua confiança no general McChrystal durante uma videoconferência na terça com o presidente Barack Obama, acrescentou o porta-voz.

Obama não exclui a possibilidade de afastar o general McChrystal após a divulgação de um artigo na revista Rolling Stone no qual o chefe das tropas da Otan no Afeganistão faz críticas explosivas ao executivo americano.

© AP
Primeira página da reportagem da "Rolling Stone" sobre o general, que será publicada sexta-feira

McChrystal foi convocado para comparecer à Casa Branca nesta quarta-feira para explicar seus comentários. Na última terça-feira, o porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, disse que Obama ficou "irritado" depois de ler as controvertidas declarações. Segundo a imprensa americana, fontes da Casa Branca que não quiseram ser identificadas afirmaram que o general disse estar disposta a renunciar ao cargo.

"Está claro que houve erro de julgamento no artigo no qual ele e seu time aparecem", disse Obama a jornalistas ao comentar a entrevista publicada pela revista, cuja manchete era "Runaway General", acrescentando que decidirá sobre o futuro do militar depois que o encontrar em Washington. "Mas quero falar com ele diretamente antes de tomar qualquer decisão".

A matéria da Rolling Stone mostrou as tensões entre McChrystal e a Casa Branca em um momento em que Washington mobiliza milhares de tropas adicionais na guerra que entra em seu nono ano. Na reportagem, o militar e seus assessores criticam e ironizam a administração Obama.

Críticas e ironias

Na reportagem da "Rolling Stone", McChrystal, comandante dos 142 mil soldados da coalizão no Afeganistão, ironiza abertamente o vice-presidente Joe Biden, conhecido por seu ceticismo ante a estratégia militar no país asiático.

No perfil, o autor Michael Hastings escreve que McChrystal e sua equipe imaginaram formas de subestimar Biden com uma única oração, enquanto se preparavam para um sessão de perguntas e respostas em abril em Paris. O general estava cheio de questões sobre Biden desde que previamente desconsiderou uma estratégia de contraterrorismo oferecida pelo vice americano.

"'Você está perguntando sobre o vice-president Biden?' diz McChrystal com uma risada. 'Quem é ele?'"

McChrystal também diz se sentir "decepcionado" por uma reunião que manteve com Obama na qual não se entenderam e inclusive "traído" pelo embaixador dos EUA em Cabul, Karl Eikenberry, que se mostrou publicamente contra o envio adicional de 40 mil soldados ao Afeganistão solicitado pelo general no final do ano passado.

Desculpas

McChrystal pediu desculpas pelo artigo . Dois oficiais da Defesa disseram que o general também demitiu um assessor de imprensa por causa da matéria, que será publicada na edição de sexta-feira da "Rolling Stone".

"Ofereço minhas mais sinceras desculpas por esse perfil. Foi um erro que reflete equívocos de avaliação e nunca deveria ter acontecido", admitiu o general em comunicado divulgado à imprensa. "Ao longo da minha carreira, vivi sob os princípios da honra pessoal e da integridade profissional. O que se reflete nesse artigo está muito longe" dessas ideias, afirmou.

"Tenho um enorme respeito e admiração pelo presidente Obama e sua equipe de segurança nacional, assim como pelos líderes civis e os soldados que lutam nessa guerra (afegã), e sigo comprometido em assegurar um resultado bem-sucedido", disse.

Otan apoia general

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) considerou "bastante infeliz" a matéria que deve ser publicada na próxima sexta feira com críticas do chefe das operações no Afeganistão ao presidente Barack Obama, mas reiterou sua "plena confiança" no militar americano.

"A matéria da 'Rolling Stone' é bastante infeliz, mas é apenas uma matéria", declarou o porta-voz da Otan, James Appathurai, em comunicado. "Estamos em meio de um conflito muito real, e o secretário-geral tem plena confiança no general McChrystal e em sua estratégia", acrescentou.

* Com AP e AFP

    Leia tudo sobre: Barack ObamaOtanAfeganistãoStanely McChrystal

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG