Londres, 15 mai (EFE).- O escândalo dos parlamentares britânicos que usaram dinheiro público para pagar despesas pessoais fez hoje a primeira vítima no Governo, com a renúncia do subsecretário de Estado da Justiça, Shahid Malik.

O político apresentou a renúncia enquanto prossegue a investigação em curso para esclarecer se abusou do dinheiro ao qual tem acesso como parlamentar para pagar o aluguel de uma de suas casas.

A decisão de Mahik foi anunciada depois que o primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, pediu ao assessor independente para interesses ministeriais, Philip Mawer, que averigue o mais rápido possível a situação do subsecretário de Estado.

Em declarações à "BBC", Mahik disse que não existe razão pela qual deva pedir desculpas, e assegurou que as verbas que incluiu como gastos decorrentes da função no marco do sistema de compensação para os deputados que procedem de circunscrições fora de Londres estiveram o tempo todo ajustadas à realidade.

"O que gastei é o que qualquer outro membro do Parlamento gastou", afirmou Malik, que, segundo o jornal "The Daily Telegraph", solicitou nos últimos três anos o máximo permitido para o segundo imóvel: 66.827 libras (74.900 euros).

O Escritório de Brown informou que, se ficar comprovado que o subsecretário não cometeu nenhum ato ilícito, ele voltará ao cargo.

"Até saber o resultado da investigação, Shahid Malik renunciará como subsecretário de Estado. Não será substituído", acrescentou o porta-voz de Downing Street, que assegurou que Brown falou com o acusado e com o ministro da Justiça, Jack Straw.

O escândalo dos deputados que usaram dinheiro público para pagar gastos pessoais já atingiu nesta quinta-feira um ex-secretário de Estado trabalhista, suspenso pelo partido, e um dirigente conservador, que renunciou. EFE fpb/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.