Submarino israelense percorre canal de Suez em sinal para o Irã

JERUSALÉM - Um submarino israelense navegou pelo Canal de Suez até o Mar Vermelho como parte de um exercício naval no mês passado, informaram fontes do setor de defesa na sexta-feira, descrevendo a incomum manobra como um sinal estratégico para o Irã.

Reuters |

Israel manteve por muito tempo seus três submarinos da classe Dolphin, que muitos acreditam carregar mísseis nucleares, longe de Suez para não expô-los à observação das autoridades marítimas egípcias.

Não estava claro em que momento do mês passado os submarinos deixaram o mediterrâneo. Uma fonte disse que a viagem foi planejada por meses e que não teve relação com as tensões ocorridas no Irã após a reeleição em 12 de junho de Mahmoud Ahmadinejad para a Presidência do país. Israel acredita que Ahmadinejad busca a fabricação de armas nucleares para ameaçar o Estado judeu.

Navegar na direção do golfo sem usar Suez obrigaria os submarinos israelenses movidos a diesel, geralmente estacionados no mediterrâneo, a circunavegar a África numa viagem que duraria uma semana. Isso teria utilidade limitada no objetivo de sinalizar ao Irã que Israel tem capacidade de responder rapidamente caso fique sob ataque nuclear iraniano.

Num prazo menor, os mísseis convencionais dos submarinos também poderiam ser usados em ataques israelenses contra instalações nucleares iranianas, as quais Teerã insiste em afirmar que têm apenas propósitos pacíficos.

Uma fonte de defesa disse que a Marinha israelense realizou o exercício na costa de Eilat no mês passado e quem um submarino da classe Dolphin participou tendo viajado de um porto no Mar Vermelho até Suez. Israel tem uma base naval em Eilat, uma faixa costeira de 10 km entre o Egito e a Jordânia, mas autoridades afirmam não ter nenhum submarino estacionado ali.

"Isso é definitivamente uma mudança de política," disse a fonte, que não quis dar mais detalhes sobre o exercício ou informar se o submarino da classe Dolphin passou por inspeção egípcia no canal, pelo qual o submarino passou sem submergir.

Uma porta-voz militar não comentou imediatamente a viagem do submarino, inicialmente noticiada pelo jornal Jerusalem Post.

Autoridades egípcias disseram que nem negariam nem confirmariam as informações de movimentações militares. Uma das autoridades disse ainda que, se houve tal passagem dos israelenses pelo canal, isso não seria um problema, pois Egito e Israel não estão em guerra. O Egito é um dos dois Estados árabes que assinou acordo de paz com Israel, embora as relações entre os dois países sejam frias.

Cada submarino da classe Dolphin, de fabricação alemã, possui 10 tubos para torpedos. No caso israelense, quatro deles foram alargados a pedido dos militares de Israel para, segundo acreditam analistas independentes, acomodar mísseis nucleares. Mas há dúvidas se esses armamentos têm o alcance de 1.500 km necessários para atingir o Irã do Mediterrâneo.

Leia mais sobre Israel

    Leia tudo sobre: israel

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG