Suazilândia comemora 40 anos de independência em clima de protestos

A Suazilândia, última monarquia absolutista da África, comemora neste sábdo os 40 anos de independência do país e o 40º aniversário de seu rei, Mswati III, em um clima de violentos protestos da população.

EFE |

Durante toda a semana passada, mais de 15 mil pessoas fizeram manifestações em Mbabane, capital e cidade mais populosa do pequeno reino, encravado entre a África do Sul e Moçambique, e que tem uma população de 70 mil habitantes.

Segundo o jornal "The Times" - único independente do país -, os manifestantes atacaram uma estação de ônibus e de táxis com paus e pedras e assaltaram várias lojas.

Além disso, dois artefatos explosivos foram detonados na quinta-feira passada no centro da cidade, mas só causaram danos materiais.

Quatro décadas após se tornar independente do Reino Unido, do qual era um protetorado desde 1903, a Suazilândia se encontra em uma desfavorável situação econômica, política e social.

Quase 70% da população, que chega a 1,1 milhão de pessoas, vive abaixo da linha de pobreza, 40% está infectada com o HIV - a maior porcentagem do mundo - e a expectativa média de vida é de apenas 32 anos.

Os partidos se tornaram ilegais na Suazilândia em abril de 1973 e, embora Mwasati tenha ordenado a redação de uma nova constituição, que foi aprovada em 2006 e recebeu várias críticas da comunidade internacional, poucas organizações políticas têm a aprovação do Governo.

    Leia tudo sobre: áfrica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG