Straw admite interesses econômicos na libertação de Megrahi

O ministro da Justiça da Grã-Bretanha, Jack Straw, admitiu que a libertação do líbio Abdelbaset al-Megrahi, condenado pelo atentado de Lockerbie e solto por razões humanitárias, foi motivada em grande parte por interesses comerciais.

AFP |

Em entrevista que será publicada neste sábado pelo jornal Daily Telegraph, Straw diz que o acordo de exploração de petróleo entre a companhia BP e a Líbia contribuiu para a entrega de Megrahi a Trípoli.

Megrahi, condenado em 2001 à prisão perpétua pelo atentado contra um avião da Pan Am, em 1988, que explodiu sobre a cidade escocesa de Lockerbie, matando 270 pessoas, foi libertado pela Escócia em 20 de agosto passado, por sofrer de um câncer de próstata terminal.

Perguntado sobre se questões comerciais fizeram parte das negociações sobre Megrahi, Straw respondeu: "sim, em grande parte".

O grupo petroleiro britânico BP desmentiu hoje que tenha feito uma campanha pela libertação de Megrahi, mas admitiu ter advertido o governo em Londres sobre a necessidade de uma rápida assinatura de um acordo de transferência de prisioneiros entre Grã-Bretanha e Líbia.

"BP chamou a atenção do governo britânico, no final de 2007, sobre sua preocupação com o progresso das negociações para um acordo de transferência de prisioneiros com a Líbia", disse o porta-voz do grupo.

"Sabíamos que a demora para um acordo teria consequências nefastas para os interesses comerciais britânicos...", destacou o porta-voz.

ar/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG