Strauss-Kahn pede planos de estímulos mais ambiciosos

Dominique Strauss-Kahn, diretor-gerente do FMI (Fundo Monetário Internacional), disse neste domingo que são necessários planos de estímulo econômicos mais ambiciosos, caso contrário as previsões para os meses vindouros serão ainda mais sombrias.

AFP |

"Antecipamos um ano de 2009 muito ruim, com uma recessão na maioria das economias industrializadas, e um crescimento menor nas economias emergentes", declarou Strauss-Kahn à BBC.

Reunidos em uma Cúpula em 15 de novembro em Washington, os dirigentes do G20, o grupo dos principais países industrializados e emergentes, se comprometeram a estimular a economia mundial. "Vejo que alguns países anunciaram medidas, mas temo que elas sejam insuficientes", advertiu Strauss-Kahn.

"A ameaça é tanta que hoje só penso em dois problemas: o aumento do déficit, que nunca é bom, e a luta contra a recessão, que é pior. Devemos escolher a menos pior das soluções", disso.

Strauss-Kahn lembrou que o FMI é favorável a um plano de estímulo orçamentário internacional de cerca de 2% do PIB mundial. A soma representa 1,24 bilhões de dólares, segundo estimativas do PIB mundial em 2008 feitas pelo FMI.

cyb/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG