STJ ordena soltura de José Roberto Arruda

Brasília, 12 abr (EFE).- O Superior Tribunal de Justiça (STF) decidiu hoje, por oito votos a cinco, pela revogação da prisão preventiva do ex-governador do Distrito Federal José Roberto Arruda e de mais cinco aliados, todos detidos com a intenção de evitar interferências na investigação do mensalão do DEM.

EFE |

Em uma nota do STJ, o relator do caso, ministro Fernando Gonçalves, diz que não há como Arruda "influir na instrução criminal porque não mais sustenta a condição de governador de Estado".

Arruda foi detido no dia 11 de fevereiro por tentar subornar o jornalista Edson dos Santos, o Sombra, testemunha do processo que investiga o 'mensalão' do DEM no Distrito Federal.

Além do ex-governador, o STJ ordenou hoje a soltura do suplente de deputado distrital Geraldo Naves; do ex-secretário de Comunicação Wellington Luiz Moraes; do conselheiro do Metrô Antônio Bento Silva; do secretário particular de Arruda, Rodrigo Diniz Arantes; e de Haroaldo Brasil de Carvalho, ex-diretor da Companhia Energética de Brasília (CEB).

Os ministros Nilson Naves, Hamilton Carvalhido, Laurita Vaz, Luiz Fux, João Otávio de Noronha, Teori Albino Zavascki e Arnaldo Esteves Lima acompanharam o voto do relator, enquanto Ari Pargendler, Felix Fischer, Gilson Dipp, Francisco Falcão e Nancy Andrighi foram contrários à soltura de Arruda. EFE mp/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG