RIO DE JANEIRO - O Superior Tribunal de Justiça (STJ) autorizou hoje o prosseguimento do processo penal contra o deputado estadual Wallace Souza (PP), acusado de comandar uma organização criminosa e de encomendar assassinatos para transmitir imagens dos mesmos em um programa de TV do qual era apresentador.

A corte de terceira instância confirmou que o processo pode seguir normalmente no Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas (de segunda instância) e negou um pedido de habeas corpus apresentado pelo deputado para que o caso seja suspenso.

Segundo a decisão provisória do desembargador convocado Haroldo Rodrigues, cujo conteúdo foi divulgado hoje no site do Tribunal, o processo poderá seguir normalmente pelo menos até que o STJ se pronuncie definitivamente sobre o mérito do recurso apresentado pelo deputado e apresentador de televisão.

Wallace Souza alega que, por ser um parlamentar regional com fórum privilegiado, o tribunal regional não tinha competência para iniciar um processo sem a autorização da Assembleia Legislativa de Amazonas.

O político enfrenta na Justiça um processo criminal por formação de quadrilha, tráfico de drogas, ameaça a testemunhas e porte ilegal de armas.

A situação do político se complicou há duas semanas, quando membros da Polícia do Amazonas denunciaram que Souza tinha encomendado assassinatos para conseguir material para seu programa de televisão.

O diretor da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas, Francisco Sá Cavalcante, assegurou que a quadrilha de Souza, "em muitos casos", "ocasionava" as mortes "para fazer notícias".

Leia mais sobre Wallace Souza

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.