STF autoriza extradição de militar uruguaio à Argentina

São Paulo, 6 ago (EFE).- O Superior Tribunal Federal (STF) autorizou hoje a extradição para a Argentina do militar aposentado uruguaio Manuel Juan Cordero, acusado de participar da Operação Condor, estratégia de repressão comandada por ditaduras sul-americanas na década de 70.

EFE |

O STF informou hoje em comunicado que, com seis votos a favor e dois contra, aprovou o pedido de extradição do ex-militar uruguaio pelo desaparecimento em 1976 de Adalberto Fernández, então um menino argentino de menos de dez anos de idade.

O tribunal acrescenta que, apesar da existência de uma solicitação de extradição pelo mesmo caso por parte do Uruguai, país de nascimento de Cordero, decidiu a favor do pedido argentino porque a lei brasileira dá preferência ao país onde os fatos ocorreram.

O ministro Eros Grau, que votou pela extradição, explicou que os argumentos em favor de Cordero não se sustentam.

A defesa do uruguaio alegou a prescrição dos delitos supostamente cometidos pelo ex-militar, além de dizer que as supostas mortes e desaparecimentos tinham caráter político, o que incluiria as ações em um indulto de 1989.

Cordero, de 70 anos, é acusado na Argentina pelo desaparecimento de dez pessoas e do sequestro de um bebê depois conhecido como Aníbal Armando Parodi durante a Operação Condor, assim como de 32 casos de tortura contra detidos em 1976 em uma prisão clandestina.

EFE az/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG