Stevie Wonder põe Obama para dançar em Washington

Por Diane Bartz WASHINGTON (Reuters) - O conteúdo do iPod de Barack Obama em breve deve virar segredo de Estado, mas os músicos Stevie Wonder, Garth Brooks e Peter Seeger podem se orgulhar por terem feito o presidente eleito dos EUA se mexer num show no domingo.

Reuters |

Obama, sua esposa, Michelle, e as duas filhas do casal, Sasha e Malia, sentaram-se placidamente ao lado do vice-presidente-eleito, Joe Biden, e da mulher dele, Jill, enquanto Bruce Springsteen cantava "The Rising" e Mary Blige fazia uma apresentação arrasadora de "Lean on Me".

O show, sob frio intenso, nas escadarias do Memorial Lincoln, no Mall (avenida monumental de Washington), foi o início das celebrações para a posse de Obama, que na terça-feira se torna o primeiro negro a governar os EUA.

No começo do espetáculo, Sasha, 7 anos, estava irrequieta, enquanto Malia, 10, aparentemente entediada, repousava a cabeça no ombro da mãe. Obama ocasionalmente conversava com Biden - ambas as famílias estavam sentadas atrás de um vidro blindado ao lado do palco.

Mas houve sinais de vida quando Garth Brooks assumiu o palco, primeiro cantando "American Pie", e depois "Shout" - quando a futura primeira-dama e Sasha jogaram as mãos para cima.

E aí vieram Stevie Wonder, Usher e Shakira - o grupo mais notavelmente diverso de artistas num show marcado pela diversidade. Wonder e Usher são afro-americanos; Shakira é colombiana descendente de libaneses. Com "Higher Ground", de Wonder, o casal Obama se pôs de pé e dançou um pouco.

Eles ainda acompanhariam a letra de "This Land is Your Land", com Bruce Sprinsteen, Pete Seeger e um neto dele. Aliás, toda a multidão, que se estendia do Memorial até o monumento a Washington, cantou junto, assim como quando Beyoncé atacou de "America the Beautiful".

Jon Bon Jovi, Sheryl Crow, Josh Groban, John Mellencamp e a banda irlandesa U2 também se apresentaram. Steve Carell, Queen Latifah, Denzel Washington e Tiger Woods participaram como oradores.

Esse memorial é um marco para os afro-americanos. Foi ali que Marian Anderson cantou, em 1939, depois de ser barrada no Constitution Hall por causa da cor da sua pele, e lá que o reverendo Martin Luther King fez o seu mais famoso discurso, "Eu Tenho um Sonho", em 1963.

Em discurso na escadaria do memorial em homenagem a Abraham Lincoln, que tomou posse às vésperas de uma Guerra Civil, Obama manifestou otimismo, a despeito do fato de que tomará posse, na terça-feira, tendo de administrar duas guerras e a pior crise econômica desde a década de 1930.

"Não há dúvida de que nossa estrada será longa. Que nossa subida será íngreme", acrescentou. "Mas nunca se esqueçam que o verdadeiro caráter da nossa nação se revela não durante os tempos de conforto e facilidade, mas pelo bem que fazemos quando o momento é difícil."

(Reportagem adicional de Rachelle Younglai)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG