Berlim, 18 out (EFE).- O ministro de Assuntos Exteriores da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier, foi hoje oficialmente nomeado candidato do Partido Social-Democrata (SPD) à Chancelaria do país.

No congresso do SPD realizado em Berlim, Steinmeier obteve apoio de 95,1% dos 500 delegados que compareceram ao evento.

Steinmeier, atualmente vice-chanceler, vai enfrentar nas eleiçoes do ano que vem a atual chanceler alemã, Angela Merkel, da União Democrata-Cristã (CDU).

Em seu discurso de apresentação, Steinmeier transmitiu uma mensagem de coesão ao afirmar que a crise interna está superada.

"Muitos tinham nos dado como acabados, mas estamos aqui mais uma vez", disse.

Na parte política de seu discurso, defendeu uma "globalização política" que conte com um G8 (os sete países mais industrializados do mundo e a Rússia) ampliado a países emergentes como o Brasil, e na qual haja uma cooperação profunda entre todas as nações.

"Após a globalização dos mercados, precisamos agora de uma globalização política. O G8 foi bem, mas já não é suficiente.

Precisamos de novos poderes na Ásia, no Oriente, do Brasil ao México, e a Europa deve assumir uma maior responsabilidade e impor suas idéias sociais", declarou.

O ministro ressaltou que, em tempos de "crise financeira" e "no Cáucaso", a Europa demonstrou ter o modelo político ocidental "que mais goza de confiança no mundo", pois "soube aliar bem-estar e justiça social".

Em um pronunciamento carregado de referências à crise financeira, Steinmeier reiterou que a evolução dos últimos meses evidenciou que o capitalismo descontrolado requer a resposta de uma democracia social.

"A democracia demonstrou nestes dias que funciona, ao contrário de muita gente alimentada pela cobiça que pôs todo o sistema em jogo", disse.

O candidato manifestou sua esperança na vitória do SPD nas eleições de 2009, pois o partido é o ideal para governar a Alemanha rumo a "esta nova era que começa após o fim de uma época de radicalismo de mercados, que começou com o thatcherismo e o reaganismo e que agora terminou com uma forte explosão".

"Esta nova era que começa deve ser a ocasião propícia. Como chanceler, quero recuperar o equilíbrio entre a política e o mundo empresarial. Se confiarem em mim, estarei preparado", concluiu Steinmeier em seu discurso de pouco mais de uma hora e meia, aplaudido pelos delegados por mais de cinco minutos. EFE ih/wr/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.