Steelers e Cardinals fazem Super Bowl histórico em Tampa

Redação Central, 31 jan (EFE).- Se previsões sobre um vencedor na partida entre Pittsburgh Steelers e Arizona Cardinals parecem algo difícil, os torcedores que forem ao Raymond James Stadium às 21h (Brasília) do próximo domingo, em Tampa, Flórida, têm a certeza de que sairão de lá tendo visto um Super Bowl histórico.

EFE |

Caso derrote o Steelers, o Cardinals porá fim a um jejum que data da temporada de 1947, quando a franquia ainda era de Chicago. O período de 61 anos sem título é o segundo maior dos esportes americanos, atrás apenas do Chicago Cubs, que não é campeão na MLB - liga profissional de beisebol - desde 1908.

Prova também da importância do Super Bowl para o Cardinals são algumas marcas da temporada. O time não conquistava um título de divisão desde 1975 e, para garantir vaga na grande final da NFL, precisou de três vitórias seguidas nos playoffs.

Essas vitórias na pós-temporada representam mais do que o total de jogos de playoffs em que a equipe do Arizona saiu vencedora em toda sua história.

Por outro lado, campeão da Divisão Norte e segundo melhor da AFC na temporada regular, o Steelers chega à Flórida podendo alcançar seu sexto título do Super Bowl, se tornando a única equipe da NFL a conseguir tal feito.

Desde sua fundação, em 1933, o time de Pittsburgh venceu, a exemplo do Dallas Cawboys e do San Francisco 49ers, cinco Super Bowl: em 1974, 1975, 1978, 1979 e 2005. No último título, o Steelers já tinha no comando das ações ofensivas o então recém-chegado à NFL "Big" Ben Roethlisberger Contra o Cardinals, Big Ben tenta apagar os resquícios da má impressão deixada após o Super Bowl de 2006. Na ocasião, ante o Seattle Seahawks, ele se tornou o mais novo quarterback da história a ser campeão, mas também virou dono da pior atuação para um jogador da sua posição em uma finalíssima do futebol americano.

Big Ben travará um dos duelos mais esperados do jogo contra o quarterback Kurt Warner. Para o experiente líder do ataque do Cardinals, de 37 anos, o Super Bowl representa uma volta por cima dentro da NFL.

Após levar o Super Bowl com o Saint Louis Rams em 2000, Warner, que no início da carreira chegou a trabalhar em um supermercado diante das poucas chances que recebia na NFL, se superou e, após começar como reserva a temporada, conduz agora de forma surpreendente e brilhante o Cardinals à sua primeira final.

De fato, o Cardinals pode ser considerado uma das grandes zebras da história da NFL. Além de ter sido uma das piores equipes da temporada passada, o time do Arizona será o primeiro a chegar a um Super Bowl tendo sofrido mais de 360 pontos durante a campanha e mais de 21 pontos em dois diferentes jogos no campeonato.

Esses números vão de encontro aos da defesa do Steelers, a que menos levou pontos, em média, no campeonato. A retaguarda do time de Pittsburgh é número um na pós-temporada contra jogo terrestre e quinta que menos cedeu jardas aéreas, o que parece ideal para parar a surpreende força ofensiva do Cardinals.

Além de ter Warner, segundo melhor passador dos playoffs, Larry Fitzgerald, recebedor mais eficiente, e Edgerrin James, running back que corre mais jardas, o Cardinals é dono do terceiro mais poderoso ataque da NFL na pós-temporada.

Essa paridade entre ataque e defesa das equipes dá a certeza de um jogo disputado e, para isso, o local parece ideal. Apesar de o Super Bowl não ter um lugar fixo para ser disputado, se existe um para ser chamado de casa da grande festa do esporte americano é a Flórida.

O estado, com a partida entre Steelers e Cardinals, terá recebido 15 edições do Super Bowl. A última decisão para a qual serviu de sede foi em 2007, quando o Indianapolis Colts bateu o Chiacago Bears no Dolphins Stadium.

Os organizadores escondem, mas existe uma preferência por lugares de clima mais moderado para realizar o Super Bowl, que geralmente acontece em época de intenso frio em algumas regiões americanas.

Califórnia, com 11 edições, e Louisiana, com nove, são os outros estados a receberem o evento, que envolve muito mais que a simples realização de uma partida de futebol americano.

Em sua 43ª edição, o Super Bowl é encarado quase como um feriado nos EUA e é fenômeno de popularidade no país. Segundo uma pesquisa feita pela NFL recentemente, a popularidade do evento supera até a da festa do Oscar, inclusive entre as mulheres.

O valor de US$ 3 milhões cobrado pela TV local por 30 segundos durante a transmissão do jogo dá dimensão do tamanho do evento, que, no chamado "Halftime Show", terá um concerto de Bruce Springsteen.

Apenas um detalhe nessa grande festa americana. EFE rd/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG