Sri Lanka nega perdão ao chefe da guerrilha tâmil

Nova Délhi, 22 abr (EFE).- O presidente do Sri Lanka, Mahinda Rajapaksa, descartou hoje que o Governo conceda perdão a Vellupillai Prabhakara, chefe da guerrilha Tigres de Libertação da Pátria Tâmil (LTTE).

EFE |

Em um comício para 3 mil pessoas, Rajapaksa ressaltou que a guerrilha tâmil, encurralada no nordeste da ilha "não poderá aguentar mais muito tempo", após a ofensiva iniciada na segunda-feira pelo Exército.

Rajapaksa disse que, em concordância com "as tradições do budismo", religião majoritária na ilha e a própria da maioria cingalesa, o Governo está disposto a "perdoar aqueles preparados para mudar seu caminho em direção a outro melhor".

O presidente deu como exemplo dois ex-guerrilheiros tâmeis que agora ocupam cargos na Administração cingalesa e afirmou que o perdão "teria sido possível para Prabhakaran se ele tivesse se rendido, entregado as armas e abandonado a violência, em lugar de causar tanto sofrimento ao povo".

"Ele terá que enfrentar as consequências de seus atos", acrescentou.

Segundo o Exército, o chefe dos LTTE ainda deve estar no interior da faixa de território controlada pela guerrilha, com apenas oito quilômetros quadrados.

Dezenas de milhares de civis tâmeis continuam encurralados no mesmo espaço, de onde o Exército cingalês afirma ter "resgatado" cerca de 100 mil pessoas desde segunda-feira, quando lançou sua ofensiva final contra os LTTE. EFE amp/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG