Sri Lanka declara cessar-fogo de 48 horas para celebrar ano novo

Nova Délhi, 12 abr (EFE).- O presidente do Sri Lanka, Mahinda Rajapaksa, declarou hoje um cessar-fogo de 48 horas para marcar as celebrações do ano novo tâmil e cingalês, que começam esta segunda-feira com duração de dois dias.

EFE |

Em comunicado emitido pelo escritório presidencial, Rajapaksa se declarou "consciente" da necessidade de dar aos civis presos nas áreas de combate "uma oportunidade para celebrar essas festividades" em uma atmosfera "propícia".

"Com este objetivo, Sua Excelência ordenou às Forças Armadas do Estado que restrinjam suas operações durante o Ano Novo às de natureza defensiva", recolheu o comunicado.

Rajapaksa voltou a pedir, "em espírito com a festividade", à guerrilha dos Tigres de Libertação da Pátria Tâmil (LTTE) que reconheça sua derrota, abandone as armas e se renda.

"Os LTTE deve também renunciar permanentemente à violência e ao terrorismo", acrescentou.

A guerrilha tâmil se encontra rodeada em alguns quilômetros quadrados do nordeste da ilha, em um espaço submetido a constantes ataques do Exército onde as organizações de ajuda temem pela sorte de cerca de 100 mil civis.

Em comunicado, a Aliança Nacional Tâmil (TNA, o partido afim à guerrilha), denunciou a morte de pelo menos 4,1 mil civis nos quatro primeiros meses deste ano, dos quais 707 morreram nos últimos nove dias.

"As Forças Armadas do Estado do Sri Lanka estão atuando deliberadamente contra os civis tâmeis, e o povo tâmil da ilha do Sri Lanka está claramente sendo submetido a um genocídio", diz a TNA na nota, citada pelo portal "Tamilnet".

As autoridades cingalesas consideram ao contrário que a guerrilha retém os civis nas últimas áreas sob seu controle, e que dispara e assassina a quem tenta escapar. EFE daa/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG