Sri Lanka aumenta pressão sobre guerrilha com nova ofensiva

Nova Délhi, 3 jan (EFE).- O Ministério da Defesa do Sri Lanka assegurou hoje que a batalha por Mullaittivu, um dos redutos da guerrilha tâmil no nordeste da ilha, apenas começou.

EFE |

A declaração é feita apenas um dia depois de as tropas governamentais tomarem a capital dos rebeldes, Kilinochi.

Em comunicado, o Ministério Defesa informou que as forças do Sri Lanka já estão a cinco quilômetros de Mullaittivu, onde a guerrilha dos Tigres de Libertação do Tâmil Eelam (LTTE) tem uma base aérea.

O Governo também assegurou hoje haver lançado várias ofensivas aéreas durante ontem contra os LTTE perto de Kilinochi, na estratégica passagem que une a ilha com a península de Jaffna.

As Forças Aéreas cingalesas também fazem ofensivas nas imediações de Mullaittivu contra os LTTE, especialmente no lado ocidental, deixando "muitas baixas" entre suas fileiras, embora o Ministério não tenha falado em números.

O portal afim à guerrilha "TamilNet" assegurou que os bombardeios a apenas um quilômetro de Mullaittivu causaram a morte de quatro civis.

O Governo cingalês comemorou ontem a tomada de Kilinochi como uma grande vitória contra "o terrorismo", embora segundo fontes militares e dos LTTE, os guerrilheiros tenham desmantelado sua infra-estrutura e desalojado civis.

O Exército do Sri Lanka está embarcado em uma dura ofensiva contra a guerrilha em seus redutos do norte do país, onde ganhou amplas parcelas de território até agora nas mãos dos rebeldes.

Os LTTE lutam há 25 anos contra o Governo do Sri Lanka pedindo um estado independente para as áreas de maioria tâmil, no norte e no leste do país, em um conflito que já custou a vida de mais de 100 mil pessoas. EFE amp/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG