Sri Lanka anuncia tomada de última faixa costeira dos rebeldes

O Exército do Sri Lanka anunciou, na manhã deste sábado, ter tomado a última parte da zona costeira do país que era dominada pelos rebeldes do grupo Tigres de Libertação da Pátria Tâmil, no nordeste da ilha. Com a ação, as tropas oficiais impedem o acesso dos rebeldes ao mar pela primeira vez em 26 anos de conflitos.

BBC Brasil |

Os tigres tâmeis estariam agora cercados por tropas em uma pequena região do país.

Segundo o porta-voz do Exército, general Udaya Nanayakkara, as tropas continuarão avançando até que todas as áreas sejam colocadas sob o controle do governo.

Nanayakkara afirmou à BBC que os conflitos na região costeira não foram tão pesados quanto no restante do país.

Segundo o correspondente da BBC em Colombo, Charles Haviland, há informações de que os rebeldes estariam planejando agora lançar ataques suicidas contra o Exército.

Civis isolados
Os militares cingaleses afirmam que cerca de 10 mil civis fugiram das zonas de conflitos nesta sexta-feira, mas, segundo o correspondente da BBC em Colombo, ainda há uma séria preocupação com o destino de centenas de outras pessoas que ainda estariam sob o fogo cruzado.

Na última quarta-feira, o Conselho de Segurança da ONU já havia expressado "séria preocupação" a respeito da "crise humana" na região.

Também no final desta semana, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pediu ao Exército cingalês que interrompesse os bombardeios em áreas civis e pediu aos rebeldes que abandonassem a armas.

Apesar da pressão internacional, o governo de Colombo se negou a interromper a ofensiva, afirmando que isto daria tempo aos rebeldes para que eles se recuperassem.

Ainda neste sábado, Vijay Nambiar, chefe de Gabinete do secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, deve desembarcar em Colombo, em uma tentativa de encontrar uma solução negociada para o conflito.

Mais de 200 mil civis que escaparam das zonas de guerra nos últimos meses estão vivendo em campos de refugiados controlados pelo governo.

Guerra civil
O fundador dos Tigres de Libertação da Pátria Tâmil, Vellupillai Prabhakaran, começou sua luta por um Estado independente para a minoria tâmil no início da década de 1970.

Os conflitos culminaram com o início da guerra civil que já dura 26 anos e matou mais de 70 mil pessoas.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG