Sri Lanka afirma que não há motivos para investigação por crimes de guerra

O governo do Sri Lanka afirmou nesta quarta-feira que não há razões para uma investigação internacional sobre crimes de guerra durante a recente ofensiva final do Exército contra os separatistas tâmeis.

AFP |

"Não há nenhuma razão para uma investigação. São declarações políticas. Não acredito que devamos ficar excitados a respeito", afirmou o ministro cingalês dos Direitos Humanos, Mahinda Samarasinghe, que está em Genebra para assitir uma sessão extraordinária do Conselho dos Direitos Humanos da ONU dedicada ao país.

Na terça-feira, a alta comissária da ONU para os Direitos Humanos, Navi Pillay, pediu uma "investigação internacional, independente e confiável".

A investigação teria como objetivo verificar as circunstâncias, a natureza e a magnitude das violações aos direitos humanos e ao direito internacional humanitário do Exército cingalês e dos rebeldes Tigres de Libertação da Pátria Tâmil (LTTE), nas palavras de Pillay.

Organizações humanitárias acusam os militares cingaleses de bombardeios contra as populações civis e os insurgentes pelo uso dos civis como escudos humanos.

A ONU acredita que em quatro meses morreram 7.000 civis na área da ofensiva, o nordeste do Sri Lanka.

mg-nr/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG