Sri Lanka acusa guerrilha de capturar crianças para usá-las como soldados

Nova Déli, 29 dez (EFE).- O Exército do Sri Lanka acusou hoje a guerrilha tâmil do seqüestro de 16 crianças de um orfanato para treiná-los como soldados e utilizá-los como terroristas suicidas, segundo um comunicado do Ministério da Defesa.

EFE |

Membros da guerrilha dos Tigres de Libertação da Pátria Tâmil (LTTE) seqüestraram na sexta-feira passada pelo menos 16 menores em um orfanato católico cerca da cidade de Kilinochchi, capital de fato dos insurgentes tâmeis, acrescentou a nota, que cita testemunhas.

Segundo o Exército, os guerrilheiros entraram no orfanato e, após agredir e amarrar os dois padres que cuidavam dos menores, levaram com eles todas as crianças maiores de 12 anos apontando pistolas contra elas.

O comunicado do Exército foi enviado um após o site "Tamilnet", simpatizante da guerrilha, assegurar que membros dos LTTE recuperaram o corpo sem vida de um menino de 17 anos que levava consigo a identificação do Exército do Sri Lanka, no distrito nordeste de Mullaitivu, o outro onde ainda resistem os rebeldes.

Os LTTE encontraram o cadáver do jovem depois dos combates ocorridos sábado em Alampil, onde os "tigres" afirmaram ter matado 50 soldados e ferido outros 90.

"De acordo com o artigo 1º da Convenção de Direitos Humanos da Infância e do envolvimento da infância em conflitos armados, o Governo deve se assegurar que os membros de suas Forças Armadas que não tenham 18 anos" não participem de combates, denunciou a nota de "TamilNet", que no entanto não contestou por enquanto a acusação do Governo cingalês.

Os LTTE lutam há 25 anos contra o Governo do Sri Lanka em reivindicação por um estado independente para as áreas de maioria tâmil, no norte e no leste do país.

Quase 100 mil pessoas morreram em conseqüência do conflito nesta ilha do oceano Índico nos últimos 25 anos. EFE jrc/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG