SPD indica Steinmeier como candidato à Chancelaria alemã

Berlim, 7 set (EFE).- O Partido Social-Democrata Alemão (SPD) designa hoje o ministro de Assuntos Exteriores e vice-chanceler, Frank-Walter Steinmeier, candidato oficial à chefia do Governo para as eleições que vão acontecer dentro de um ano.

EFE |

O anúncio oficial da candidatura será no final de uma reunião da cúpula do SPD junto ao lago de Schwielow, na localidade de Potsdam, perto de Berlim, onde este domingo os social-democratas querem se preparar para o ano eleitoral, asseguram hoje vários meios de imprensa alemães.

A indicação de Steinmeier para enfrentar nas eleições a atual chanceler, a cristã-democrata (CDU) Angela Merkel, ajuda a renúncia à candidatura por parte do presidente do partido, Kut Beck, com quem o SPD atingiu as mais baixas cotas de popularidade de sua história.

A notícia deste acordo foi adiantada pela revista "Der Spiegel" e pelas edições digitais dos jornais "Berliner Zeitung" e "Bild", que coincidem em comentar que foi o próprio Steinmeier que pressionou para que sua designação for efetivada o mais rápido possível.

O vice-chanceler federal, cujo nome era ventilado para liderar a campanha no pleito legislativo há meses, considera que os social-democratas devem acabar o mais rápido possível com as especulações sobre essa nomeação e concentrar-se em preparar a campanha.

A imprensa que deu a notícia destaca igualmente que o SPD centrará a campanha eleitoral em reivindicar, entre outras coisas, a igualdade salarial para homens e mulheres, assim como medidas para retirar carga fiscal das classes menos favorecidas.

A redução do consumo energético e medidas para frear a mudança climática formarão também parte do programa que os social-democratas aprovarão hoje em Potsdam, mas também a gratuidade do ensino desde a creche à universidade.

O vazamento da esperada notícia provocou críticas da CDU de Merkel, cujos porta-vozes, como o de exteriores no grupo parlamentar, Eckart von Klaeden, consideram que Steinmeier não conseguirá tirar o SPD da aguda crise de identidade que sofre.

Além disso, e "perante os atuais desenvolvimentos internacionais, o momento da nomeação é difícil, já que a Alemanha necessita de um ministro de Exteriores que se dedique cem por cento a seu trabalho", diz von Klaeden em declarações ao "Spiegel Online".

A escolha de Steinmeier como candidato do SPD à Chancelaria alemã acontece poucos dias depois que o ministro federal do Interior, Wolfgang Schäuble, anunciou que o pleito legislativo será no dia 27 de setembro de 2009, após pactuar a data com os partidos que têm representação no Bundestag, o Parlamento alemão. EFE jcb/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG