Spanair desmente intenção de trocar de avião antes do acidente

A companhia aérea espanhola Spanair, responsável pelo avião que caiu no dia 20 de agosto no aeroporto madrileno de Barajas quando tentava decolar deixando 154 mortos, negou neste sábado ter cogitado trocar a aeronave acidentada, como afirmou na sexta-feira a ministra espanhola de Fomento.

AFP |

"Em momento algum (a Spanair) indicou que fora a sua intenção substituir o avião acidentado" depois de detectada a avaria -considerada menor- durante a primeira tentativa de decolagem da aeronave que se dirigia rumo às Ilhas Canárias (sudoeste), indicou a companhia em um comunicado.

O piloto interrompeu uma primeira tentativa de decolagem depois de detectar um aquecimento em uma entrada de ar do avião e decidiu retornar à área de embarque.

"Os técnicos de manutenção decidiram que não seria necessária a mudança de avião por tratar-se de uma reparação menor que poderia ser efetuada em um lapso de tempo não superior a 15 minutos", explicou a Spanair no comunicado.

Na sexta-feira, a ministra espanhola de Fomento, Magdalena Alvarez, afirmou diante de uma comissão do Congresso dos Deputados que "a companhia comunicou ao aeroporto a possibilidade de substituir a aeronave (...) embora finalmente também tenha comunicado ao centro de administração aeroportuária que decidira manter a aeronave".

Com sua declaração, Alvarez semeou dúvidas em relação à gravidade real da primeira avaria detectada no MD-82 que caiu pouco depois da decolagem nas imediações do aeroporto de Madri-Barajas.

As causas da catástrofe aérea, a maior da Espanha em 25 anos, continuam sem explicação. Alguns dos 18 sobreviventes disseram que a velocidade do avião era muito baixa para uma decolagem.

ot/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG